Morre Dom Pedro Casaldáliga, bispo Emérito da Prelazia São Félix (MT)


09/08/2020 - 21:30
Seu falecimento ocorreu neste sábado, 8, na cidade de Batatais, no interior de São Paulo

A Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), a Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria (Claretianos) e a Ordem de Santo Agostinho (Agostinianos) comunicam o falecimento de Dom Pedro Casaldáliga, bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (Mato Grosso) e Missionário Claretiano, neste sábado, 8, na cidade de Batatais, no estado de São Paulo

O velório de Dom Pedro será realizado em três locais: em Batatais, no interior de SP, onde o corpo será velado neste sábado, 8, a partir das 15h, na capela do Claretiano (Centro Universitário de Batatais), unidade educativa dirigida pelos Missionários Claretianos, que fica à Rua Dom Bosco, 466, Castelo, Batatais (SP). A missa de exéquias será celebrada, em Batatais neste domingo, 9, às 15h, no endereço acima e será aberta ao público em geral, além de ser transmitida ao vivo neste link: https://youtu.be/spto8rbKye0, que estará aberto para que outros veículos de comunicação possam retransmitir.

Já em Ribeirão Cascalheira (MT) na segunda-feira, 10, o corpo de Dom Pedro será velado no Santuário dos Mártires, sem previsão de horário de chegada. Por fim, em São Félix do Araguaia, também no Mato Grosso, será realizado o sepultamento, mas sem previsão de chegada, uma vez que antes passará pela cidade de Ribeirão Cascalheira.

Breve histórico

Dom Pedro Casaldáliga ficou conhecido por atuar em defesa de direitos dos povos indígenas e o combate à violência dos conflitos agrários. O religioso chegou a Mato Grosso em 1970 para atuar como o primeiro bispo da Prelazia de São Félix do Araguaia, função que ocupou até 2005. Já nos primeiros anos na região, ao lado de outros padres espanhóis, envolveu-se com a defesa de povos indígenas, ameaçados pela violência dos conflitos agrários e pela expansão dos latifúndios.

Sua história já foi representada nos palcos do teatro, na peça “Fica Pedro”, encenada pela Companhia Cena Onze de Teatro. Nas telas do cinema teve a sua vida retratada no filme “Descalço sobre a Terra Vermelha”, coproduzido pela TV Brasil com mais duas televisões públicas, a espanhola TVE e a catalã TVC e baseado no livro que leva o mesmo nome, de autoria de Francesc Escribano.

Ele já viu a Terra Indígena de Marãiwatsédése, razão maior de sua luta, ser reconhecida pela justiça brasileira e devolvida ao povo Xavante do Mato Grosso, em dezembro de 2012. O engajamento do bispo emérito lhe transformou em referência internacional na luta por direitos dos indígenas e direitos humanos.



Ultimas Matérias
Dez Mandamentos do Dizimista
PACTO PELA VIDA E PELO BRASIL
Assumindo e concretizando o pacto pela vida e pelo brasil
Presidente do Regional Sul 1 incentiva ações para o Grito dos Excluídos e faz um convite à reflexão sobre o “Pacto pela vida e pelo Brasil”
Mensagem do presidente da CNBB para o Dia da Pátria
Veja Mais