Aos pés do Cristo Redentor, a consagração do Brasil e da humanidade a Jesus


15/04/2020 - 08:43

Aos pés do monumento do Cristo Redentor, no Corcovado, “de braços abertos, que acolhe a todos”, o arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Orani João Tempesta, renovou o ato de consagração do Brasil ao Sagrado Coração de Jesus. O momento de oração foi realizado no último domingo (12), dia em que a Igreja celebra com júbilo a ressurreição de Jesus.

“O monumento representa o Senhor Jesus que morreu, foi sepultado, mas ressuscitou. Celebramos a esperança porque temos fé e acreditamos que Ele está vivo e presente no meio de nós. A Ele gritamos sobre nossos sofrimentos e angústias, na certeza que Ele nos consola, nos dá força e nos indica caminhos”, disse o arcebispo brasileiro.

A consagração do Brasil

Dom Orani lembrou que a consagração ao Sagrado Coração de Jesus é uma tradição da Igreja. Ela foi feita há quase nove décadas, em 1931, pelo seu antecessor, o cardeal Sebastião Leme, por ocasião da inauguração do monumento do Cristo Redentor. Hoje, “neste momento diferente da história, quando somos chamados a obedecer às orientações das autoridades sanitárias e ficar em casa para evitar a disseminação do vírus, queremos consagrar nossas vidas, a humanidade inteira a Jesus Cristo, nosso Senhor”, disse o cardeal: “temos fé, e com a graça de Deus, sabemos que tudo isso vai passar, porque somos homens e mulheres de esperança e confiamos no amanhã, em dias melhores”.

Cristo Redentor vestido de médico

O ato de consagração foi acompanhado de homenagem aos profissionais que estão na linha de frente para combater a pandemia do coronavírus. Através de projeções, o monumento se vestiu tanto de jaleco e estetoscópio, como de uma roupa universal com as bandeiras do mundo inteiro e a palavra ‘obrigado’ em vários idiomas. O momento também foi marcado pelo movimento nacional #FormouEsperança.

Na oração, dom Orani rezou “pelos cientistas para que encontrem uma vacina que detenha a pandemia, e por todos os profissionais da saúde: médicos, enfermeiros e funcionários para que, no meio da correria e das preocupações, tenham a força necessária para cuidar daqueles que estão infectados. Também rezamos pelas famílias machucadas por causa de familiares doentes ou que partiram. Unidos aos que lutam e que choram, rezamos para que Cristo seja o consolo e os seus corações sejam repletos de esperança e confiança”.

Semeadores da esperança

Em sintonia com a mensagem de Páscoa do Papa Francisco, que disse para não gastar dinheiro com guerras e armas, mas que era tempo da busca pela fraternidade, entendimento e paz, o cardeal destacou a necessidade da unidade para combater o inimigo comum:

“O homem sempre pensou que fosse onipotente, que tudo podia e resolvia. As nossas ruas, praças e cidades vazias são sinais de nossa fragilidade. Um mundo diferente supõe a mudança de coração, a preocupação de ajudar uns aos outros, a busca da unidade e de cumprir com responsabilidade o cotidiano da vida. Temos problemas e dores sim, mas podemos viver com fé, confiando serenamente no Senhor.”

Dom Orani desejou ainda que todos pudessem, por meio da consagração ao Sagrado Coração de Jesus, sentir a presença do Senhor, e que estivessem animadas para anunciar a Boa Nova da salvação:

“Estamos vivendo um momento difícil, mas o mundo já passou por muitas epidemias, e tudo foi vencido. Sem desânimo, vamos continuar a conviver em unidade, a fazer e contagiar os outros com o bem. Que a presença do Senhor entre nós, vivo e ressuscitado, nos console e nos anime para que sejamos semeadores de esperança na família, na comunidade, na sociedade.”

Ato de Consagração

O cardeal então fez a consagração do Brasil ao Sagrado Coração de Jesus através de uma oração que retratou o momento atual, as preocupações de seu coração de pastor, mas, ao mesmo tempo, a confiança no Senhor da vida e na esperança de dias melhores. Em seguida, com o canto “Coração Santo, Tu reinarás”, interpretado pelo reitor do Santuário Cristo Redentor, Pe. Omar Raposo, dom Orani concedeu a bênção com o Santíssimo Sacramento.

 

Consagração aos pés da imagem do Cristo Redentor

Domingo de Páscoa, 12 de abril de 2020, 19h

“Senhor Jesus, Salvador e Redentor nosso, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, que sois para o mundo a única fonte de luz, de paz, de progresso e de felicidade.”

 

Há 90 anos o meu predecessor, Cardeal Leme,
subiu aqui no Corcovado
para consagrar o Brasil ao vosso Sagrado Coração,
consagração que foi renovada muitas vezes,
no decorrer desses decênios.
Hoje, também chego aqui como peregrino,
trazendo no coração de pastor
as angústias e esperanças do nosso povo,
que se apresenta comigo diante de Vós,
clama por dias melhores e sonha com novos tempos.
Subindo agora este “monte pascoal”,
queremos vos consagrar a Terra de Santa Cruz,  
como foi chamada a nossa nação, naquela quarta-feira de Páscoa – dia 22 de abril de 1500).
Hoje é Domingo de Páscoa:
acolhemos a maior notícia já veiculada no mundo:
a morte foi vencida
e estais ressuscitado no meio de nós, Aleluia!
E para que esta consagração
seja realmente eficaz e duradoura,
também renovamos hoje, aqui aos vossos pés,
as promessas do nosso batismo.
Ó, Cristo Redentor dos homens,
já se passaram dois mil anos desde aquele momento, quando, abrindo vossos braços clamastes em alta voz: “Vinde a mim, todos vós, e eu vos aliviarei!
Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração!” (cf. Mt 11, 28-30).
Para manifestar que nosso povo
Vos reconhece como seu único Rei e Senhor
foi aqui, neste alto,
entronizada esta vossa imagem,
de braços abertos sobre a Baía da Guanabara,
sobre o Brasil e sobre o mundo,
repetindo o mesmo convite:
“Vinde a mim! Aprendei de mim!”
Aqui viemos Senhor,
neste local simbólico para nosso país,
trazendo nossas vidas e sonhos.
Por isto, neste momento tão difícil
pelo qual passa o mundo inteiro,
venho neste Solene Domingo de Páscoa,
prostrado aos vossos pés,
junto com todo o povo clamar:
“Eis-nos aqui, Senhor!,
vinde em nosso auxílio e salvai-nos!”.
Sim, nós brasileiros queremos,
mais uma vez,
nos abrigar debaixo da proteção de vossos braços,
entregar-nos ao Vosso Sagrado Coração,
manso e humilde,
e depositar em Vosso lado aberto,
que é fonte de salvação,
a súplica pela proteção de nossas famílias e lares.
Reconhecemos nossas infidelidades,
mas confiamos na vossa misericórdia
e nos colocamos solidários com todos,
especialmente com os que passam pela tribulação
e os que sofrem com a doença, a miséria e a fome.
Nosso povo demonstra seu coração generoso,
em meio a tantas dores,
partilhando uns com os outros o necessário para a vida, especialmente a esperança de um amanhã melhor,
porque confiamos totalmente em Vós
e sabemos que não seremos decepcionados.
Somos um povo de esperança
que se traduz em atitudes de caridade porque temos fé.
Nestes tempos de pandemia,
são tantos os brasileiros que devem permanecer em casa,
e também outros que saem para trabalhar,
nos serviços essenciais,
especialmente os profissionais da saúde.
Protegei a todos com vosso divino amor,
vos suplicamos.
Nós nos aconchegamos ao vosso Coração
com todas as nossas famílias.
Senhor Jesus Cristo, Redentor do mundo,
diante de vossa presença sacramental
e contemplando a vossa imagem,
símbolo de nossa nação,
eis aos vossos pés o Brasil, a Terra de Santa Cruz,
que novamente se consagra solenemente
ao vosso Coração Sacratíssimo
e vos reconhece, para sempre,
por seu único Rei e Senhor”,
a fim de obter dias seguros com vida em abundância, segurança e paz constante.
Jesus, deste lugar,
nosso Santuário Arquidiocesano,
nós Vos pedimos
abençoai o nosso Brasil!
Abençoai o Mundo
e livrai-nos de todos os males!
Assim seja para sempre
Amém.


Ultimas Matérias
Dez Mandamentos do Dizimista
PACTO PELA VIDA E PELO BRASIL
Assumindo e concretizando o pacto pela vida e pelo brasil
Presidente do Regional Sul 1 incentiva ações para o Grito dos Excluídos e faz um convite à reflexão sobre o “Pacto pela vida e pelo Brasil”
Mensagem do presidente da CNBB para o Dia da Pátria
Veja Mais