Vaticano apresenta o “Domingo da Palavra de Deus”, instituído pelo Papa


19/01/2020 - 21:20
Data será celebrada pela primeira vez no próximo dia 26 de janeiro

Nesta sexta-feira, 17, uma coletiva no Vaticano apresentou o “Domingo da Palavra de Deus”, data instituída pelo Papa Francisco e que será celebrada pela primeira vez em 26 de janeiro de 2020.

A celebração foi anunciada em 30 de setembro passado, com a publicação da carta apostólica “Aperuit illis” (Abriu-lhes). Trata-se de uma iniciativa que o Santo Padre confia a toda a Igreja para que “a comunidade cristã se concentre sobre o grande valor que a Palavra de Deus ocupa na sua existência cotidiana”, escreve o Papa na carta.

Na conclusão do Jubileu da Misericórdia, na carta apostólica “Misericordia et misera”, Papa Francisco já havia feito uma alusão a esta perspectiva: “Seria conveniente que cada comunidade pudesse, num domingo do Ano Litúrgico, renovar o compromisso em prol da difusão, conhecimento e aprofundamento da Sagrada Escritura: um domingo dedicado inteiramente à Palavra de Deus, para compreender a riqueza inesgotável que provém daquele diálogo constante de Deus com o seu povo”.

Apresentando a iniciativa na coletiva, o presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, Dom Rino Fisichella. Ele destacou que são muitas e diversas as iniciativas pastorais que colocam no centro o conhecimento, a difusão, a reflexão e o estudo da Sagrada Escritura e, entre os exemplos, citou a Comunidade Canção Nova no Brasil.

“Este Domingo da Palavra de Deus, portanto, coloca-se como uma iniciativa pastoral de Nova Evangelização, com o escopo de reavivar a responsabilidade que os crentes têm no conhecimento da Sagrada Escritura e em mantê-la viva através de uma obra de permanente transmissão e compreensão, capaz de dar sentido à vida da Igreja nas diversas condições em se encontra”, afirmou.

Ecumenismo

Dom Rino comentou ainda na coletiva o valor ecumênico desta data, que será celebrada sempre no III Domingo do Tempo Comum, próximo ao dia do diálogo entre judeus e católicos e da Semana de Oração pela unidade dos cristãos.

“Não é, obviamente, uma mera coincidência temporal, mas uma escolha que pretende marcar mais um passo no diálogo ecumênico, colocando a Palavra de Deus no coração do próprio compromisso que os cristãos são chamados a realizar cotidianamente”.

A celebração no Vaticano

Em 26 de fevereiro, Papa Francisco presidirá a Santa Missa na Basílica de São Pedro às 10h (hora local). Ao final da celebração, um gesto simbólico da parte do Papa: entregará a Bíblia a 40 pessoas representantes de várias expressões da vida cotidiana: do bispo ao estrangeiro, do sacerdote ao catequista, dos consagrados a policiais e à guarda suíça, dos embaixadores a docentes universitários, do pobre ao jornalista; também um representante das Igrejas Ortodoxas e das Comunidades Evangélicas.

“A todos é confiada a Sagrada Escritura para indicar a atenção que somos chamados a dar à Palavra de Deus, para que não permaneça um livro em nossas mãos, mas se torne uma provocação contínua para que seja de oração, leitura, meditação e estudo. Este Domingo quer provocar todos os cristãos a não colocar a Bíblia como um dos tantos livros na estante de casa, talvez cheios de pós, mas um instrumento que desperte a nossa fé”.

Para preparar a celebração deste Domingo, foi feito um subsídio pastoral em italiano, já traduzido em francês, espanhol, português, polonês e inglês, disponível somente online, que os párocos e agentes pastorais poderão utilizar para encontrar ideias e instrumentos para a animação desse dia.



Ultimas Matérias
Dez Mandamentos do Dizimista
PACTO PELA VIDA E PELO BRASIL
Assumindo e concretizando o pacto pela vida e pelo brasil
Presidente do Regional Sul 1 incentiva ações para o Grito dos Excluídos e faz um convite à reflexão sobre o “Pacto pela vida e pelo Brasil”
Mensagem do presidente da CNBB para o Dia da Pátria
Veja Mais