“Participação, comunhão e missão” definem a 57ª Assembleia dos Bispos, segundo presidente da CNBB na abertura do evento


01/05/2019 - 18:47

O versículo “Que todos sejam um”, do evangelho de São João, deu a tônica à celebração de abertura da 57ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil no Centro de Convenções Padre Vitor Coelho, em Aparecida (SP), às 9h15 deste 1º de maio. A imagem de Nossa Senhora Aparecida foi entronizada à plenária pela Sandra Zambor, secretária executiva do Sul 3.

O arcebispo de Brasília, cardeal Sergio da Rocha, presidente da CNBB, reforçou que o início da Assembleia ocorre efetivamente com a celebração da Eucaristia que, para ele, é fonte e sustento da missão e dos trabalhos nos próximos dias. “A assembleia é sempre ocasião privilegiada de partilha, oração e reflexão”, disse.

Para o cardeal, três palavras definem uma assembleia: participação, comunhão e missão. “Trata-se de um tempo especial de encontro entre os bispos do Brasil em vista da missão evangelizadora da Igreja no Brasil”, disse.

Sobre o tema central, As diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2019 – 2023, o presidente da CNBB reforçou que são nas novas diretrizes que são os referenciais para atuação dos que serão eleitos. “Por isto, primeiro aprovamos as diretrizes e depois elegemos os responsáveis por animá-las na vida da Igreja’, disse.

O cardeal também falou da importância da Assembleia Especial dos Bispos sobre a Amazônia que acontece este ano, em outubro, no Vaticano. Ele lembrou que este sínodo está sendo especialmente preparado pelas Igrejas da Amazônia no Brasil e de outros países. “Agradeço ao papa Francisco por esta iniciativa e desejo que ela dê muitos frutos à Igreja na Amazônia e no mundo e aumento a nossa corresponsabilidade por este bioma”, disse.

Convidados – O reitor do santuário de Aparecida, padre Carlos Eduardo, saudou todos os bispos do Brasil e disse da alegria de acolhê-los na casa da Mãe. “O santuário pertence ao povo brasileiro e à Igreja no Brasil”, disse.

Ao dirigir-se aos bispos do Brasil, em sua acolhida, dom Orlando Brantes, arcebispo de Aparecida (SP), lembrou da oração de sagração episcopal que diz que: “Deus conhece tudo com antecipação” e por isto quis todos os bispos como irmãos na comunhão da Igreja. “Que sejamos instrumentos do amor de Deus nestes dias na Assembleia Geral”, desejou.

O nuncio apostólico no Brasil, dom Giovanni D’Anielo, representante do papa Francisco, expressou sua gratidão aos bispos do Brasil por compartilhar a presença na assembleia em vista de reforçar a comunhão. “Quero expressar meu desejo da convivialidade entre nós. Estamos como romeiros que vem buscar a partir da filiação com a Mãe o compromisso de fazer a vontade de Deus”, disse. O ponto central das discussões, segundo dom D’Anielo, é o amor de Deus para conosco e nosso compromisso com o mundo.



Ultimas Matérias
O Sínodo nasce da Igreja
Organização que protege a liberdade religiosa no mundo denuncia campanha de desprestígio
Consultar adivinhos para prever o futuro não é cristão, afirma o Papa Francisco
Papa abençoa terços que serão distribuídos a famílias na Síria
É preciso coerência no ser cristão, diz Papa
Veja Mais