Patriarcas de igrejas orientais se unem para condenar recentes ataques na Síria


16/04/2018 - 19:59

Em declaração, religiosos afirmaram que ataque realizado por EUA, França e Reino Unido foi brutal agressão 

Gracielle Reis
De Jerusalém

Patriarcas de igrejas orientais se uniram para condenar os recentes ataques na Síria provocados pelos Estados Unidos, França e Reino Unido. Em declaração, datada de 14 de abril, os religiosos afirmaram ser uma brutal agressão e uma violação às leis internacionais e à Carta das Nações Unidas. A declaração foi publicada no site do Patriarcado Latino de Jerusalém neste domingo, 15. 

Os representantes da Igrejas ressaltaram não ter fundamento o suposto uso de armas químicas pela Síria e que a investida destrói as chances de uma solução pacífica e encoraja ações terroristas. Eles apelam ainda que o Conselho de Segurança das Nações Unidas desempenhe o seu papel natural de promover a paz.

No texto, os patriarcas convidaram as igrejas presentes nos países que promoveram os ataques a mobilizarem os cristãos e os governos a se comprometam com a paz mundial. Por fim, destacaram a coragem do Exército Árabe Sírio por buscar proteger a população local e declaram oferecer suas orações pela segurança e libertação da Síria.

“Pedimos o fortalecimento dos esforços da reconciliação nacional para protegerem o país e preservar a dignidade de todos os sírios”, finalizam.

A declaração foi assinada pelos patriarcas John X, da Igreja Greco-ortodoxa de Antioquia e todo Oriente; Ignatius Aphrem II, da Igreja Sírio-ortodoxa de Antioquia e todo Oriente; e Joseph Absi, da Igreja católica-melquita de Antioquia, Alexandria e Jerusalém.



Ultimas Matérias
Vaticano anuncia projetos para prevenir abuso de menores em todo o mundo
Dom Darci José Nicioli: “17 anos depois e o terror de 11 de setembro ainda tem seus tentáculos no mundo”
Setembro Amarelo: falar é a melhor solução. A ideia é promover o debate sobre suicídio
No Ângelus, Papa afirma: Jesus veio “abrir” os corações
Viver a novidade do Evangelho, não as novidades mundanas, pede Papa
Veja Mais