Papa pede a fiéis que se deixem purificar pelo amor de Deus - Catedral Votuporanga-SP
Papa pede a fiéis que se deixem purificar pelo amor de Deus


10/03/2018 - 13:23
Pedido foi feito durante a celebração penitencial desta sexta-feira, 9, que iniciou “24 horas para o Senhor” no Vaticano

“Deixemo-nos purificar pelo amor, para reconhecer o verdadeiro amor”. Este foi o pedido do Papa Francisco durante celebração penitencial realizada na tarde desta sexta-feira, 9, que marca a abertura da iniciativa “24 para o Senhor” no Vaticano. Com o tema “Contigo está o perdão” (Sl 130, 4), a ação é voltada para o sacramento da Reconciliação por meio da confissão.

Durante sua homilia, o Santo Padre reafirmou a grandiosidade do amor de Deus como algo muito além do imaginário e do entendimento humano. “Deus é sempre maior do quanto possamos imaginar, estendendo-se para além de qualquer pecado que a nossa consciência nos acuse. Não conhece limites, é um amor desprovido de confins; não apresenta aqueles obstáculos que nós, ao contrário, costumamos interpor a uma pessoa, pelo receio que venha privar-nos da liberdade”, expôs o Pontífice.

De acordo com Francisco, ainda que o pecado seja capaz de afastar o homem de Deus, ele é incapaz de afastar Deus do homem. “A condição de fraqueza e confusão, em que o pecado nos coloca, é mais um motivo para Deus ficar junto de nós; esta certeza deve acompanhar-nos sempre na vida”, ressaltou. O Papa prosseguiu afirmando que a humanidade só descobrirá a grandeza do amor de Deus quando puder vê-Lo face a face.

O Santo Padre relembrou a frase do apóstolo João ao reafirmar que a graça de Deus torna o homem sempre acompanhado do amor divino: “Na sua presença, sentir-se-á tranquilo o nosso coração, mesmo quando o coração nos acuse; pois Deus é maior que o nosso coração e conhece tudo”. Segundo o Pontífice, a esperança provoca no homem a tomada de consciência da desorientação em que muitas vezes cai a existência humana, situação exemplificada na experiência de Pedro com a vida e a morte de Jesus Cristo.

“Pedro queria ensinar o seu Mestre, queria precedê-Lo; ao contrário, é Jesus que vai morrer por Pedro; e isto, Pedro não o compreendera, não o quisera compreender. Pedro confronta-se agora com o amor do Senhor e, finalmente, compreende que Ele o ama e lhe pede para se deixar amar. Pedro dá-se conta de que sempre se recusara a deixar-se amar, sempre se recusara a deixar-se salvar plenamente por Jesus; afinal, não queria, de todo, que Jesus o amasse”, dissertou Francisco.

O Papa reascendeu a necessidade dos fiéis deixarem-se amar verdadeiramente por Deus, reconhecendo a verdadeira condição de devedores de tudo a Deus. “Sempre quereríamos que algo de nós não estivesse obrigado à gratidão, quando, na realidade, somos devedores de tudo, porque Deus é o primeiro a amar e, por amor, nos salva totalmente. Peçamos agora ao Senhor a graça de nos dar a conhecer a grandeza do seu amor, que apaga todos os nossos pecados”, finalizou.



Ultimas Matérias
Semana Nacional da Família termina neste domingo com show de Paulinho Ribeiro
1º Desperta Jovem Diocesano acontecerá nesse domingo na Santa Luzia
Coro Municipal de Fernandópolis se apresenta na Catedral de Votuporanga nesta quarta-feira
Pastoral da Criança de Votuporanga: um trabalho de amor à vida
Dom José Reginaldo Andrietta celebra missa na Catedral de Votuporanga
Veja Mais